Translate

sábado, 25 de novembro de 2017

O QUE A BAIANA (E A DINAMARCA) TEM.

Uma reportagem sobre o reino da Dinamarca na TV fez os olhos de alguns brasileiros brilharem extasiados como se tivessem descoberto o paraíso na terra. Certamente os incautos imediatamente fizeram um paralelo com nosso continente tropical e as redes sociais apontaram o país nórdico como o modelo a ser seguido, pela nossa turba. Infelizmente, em pouco tempo de pesquisa, chegamos a conclusão de que o Brasil nunca poderia , nem poderá ser um país igual ou parecido com a Dinamarca, e não é por que "o país mais feliz do mundo" tem costumes estranhos aos nossos como o de lavar a louça e não tirar o sabão, apenas secar com um pano de prato. ou de terem banheiros, digamos minúsculos, e geralmente o chuveiro fica acima da privada, e em alguns, o mais estranho, é que o banheiro fica no meio da cozinha. A coisa pode ficar pior se o assunto for relações sociais. As relações sociais e interpessoais na Dinamarca são diferentes das que conhecemos no Brasil. Não espere   espontaneidade, e todos os compromissos – incluindo visitar amigos e familiares – são agendados com antecedência. Aparecer de surpresa na casa de alguém é um erro fatal, esta parte eu gosto.Mas a raiz de nossas diferenças é que os dinamarqueses são descendentes dos vikings.Isto já é uma grande diferença.    Também é uma loucura querer que os brasileiros se tornem iguais ou se adaptem à Dinamarca quando se sabe que a população do reino, 90% de etnia dinamarquesa,não chega a 6 milhóes de pessoas numa área total de 43 094km².. Bem menor do que a população de um dos menores estados brasileiros, o RJ, que tem 16 milhões de várias etnias numa area de 43.696 km².

Dificil imaginar que o país banhado pelo oceano atlantico desde o cabo Orange até o Chuí, numa extensão de 7 367 km, que aumenta para 9 200 km se forem levadas em consideração as saliências e as reentrâncias, seja administrado igualmente ao reino dinamarquês, que tem uma Rainha (A Rainha Margarida II da Dinamarca) que é efetivamente o chefe de estado, e sua função é essencialmente de representação máxima do Estado e do povo. Um papel cerimonial que representa a tradição e cultura enraizada do respectivo povo. O poder executivo é exercido pelos ministros, sendo o primeiro-ministro um primeiro entre iguais (primus inter pares). Portanto nada mais diferente do que a politica destas bandas. Ao contrário dos brasileiros, os de lá não gostam muito de aparecer e não são receptivos com estrangeiros, leia-se xenófobos. Talvez o dinamarquês mais conhecido seja Hans Christian Andersen, famoso principalmente devido aos seus contos de fadas, As Roupas Novas do Imperador e O Patinho Feio. Outra diferença importante é que 78,4% da população é composta por membros da Igreja Luterana, enquanto no Brasil existe uma religião prá cada um (exageros à parte). Embora, como seus vizinhos escandinavos, seja historicamente  uma das culturas mais socialmente progressistas do mundo, há que se observar seus costumes totalmente diversos do povo aqui de baixo, pode-se acusar de má fé quem fala prá galera non-viking que o Brasil poderia ser igual.Algumas diferenças comemoradas pela patrulha do politicamente correto,como a ausencia de machismo, não leva em conta que o país foi o primeiro a legalizar a pornografia em 1969, o que não é legal no resto do mundo. Oficialmente. E para quem acha que vai para o paraíso, é bom lembrar que nosso Sol e calor são artigos de luxo por aquelas bandas. A adaptação pode ser bem difícil por conta do clima. Nos meses de inverno, entre outubro e fevereiro, os dias ficam mais curtos e a luz do sol é comemorada com entusiasmo, quando aparece.Muita gente acaba tendo a chamada ‘depressão de inverno’ por conta dos dias escuros e cinzas e noites longas e frias. Mesmo no verão o calor nunca será tropical. Nada é perfeito. Uma curiosidade é que    na Dinamarca você não pode botar o nome que quiser nos seus filhos, o estado lhe propicia escolher entre os 7.000 nomes pre-estabelecidos, viu Olaf? 
Além de tudo, existem diferenças incontornáveis entre os dois povos: a modéstia, a pontualidade, e acima de tudo, a igualdade, são aspectos importantes da maneira de viver dos dinamarqueses. Alguma semelhança?
Com uma estrutura política totalmente diversa em relação ao Brasil,é fácil compreender por que os políticos dinamarqueses recebem cerca de  R$ 6 mil para legislarem em horário parcial, complementados com atividades na direção de uma orquestra, e num espaço geográfico inversamente proporcional ao tamanho do Brasil, Vivem em zonas de classe média e não possuem carro, indo a pé ao trabalho. Outro dado importante em relação ao Brasil é a polícia, que  goza de alto nível de confiança. Ser um policial geralmente é considerado uma posição relativamente de status. Isto faz jovens considerarem a carreira", recebem um "bom salário de classe média, especialmente se for levado em conta a generosa aposentadoria".
O código criminal da Dinamarca proíbe propina ativa ou passiva, abuso de poder público, peculato, fraude, lavagem de dinheiro e suborno. A tolerância à ilegalidade na Dinamarca é baixíssima não só com relação às instituições, mas até com indivíduos do convívio que infringem normas das mais simples 
A marca fatal que separa as duas sociedades é a marca social.  Os dinamarqueses historicamente passaram a confiar nos indivíduos e, além disso, em suas instituições, o que torna possivel pegar um livro em bibliotecas sem intermédio de funcionários ou deixar o bebê num carrinho enquanto entra numa loja. 
Portanto, não há como comparar Brasil e Dinamarca e nem achar que ela é um país perfeito para todos, a Dinamarca é um país feliz para os dinamarqueses. 
A confiança social que também ajuda a prevenir a corrupção, é a chave que distancia nossos povos. Quanto maior a corrupção menor a confiança da população. Por isto numa pesquisa em 86 países ao perguntarem se as pessoas confiavam uma nas outras, na Dinamarca mais 70% disseram sim, No Brasil, apenas 9%. Fim.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

AQUELE PAPO SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MUDANÇAS CLIMÁTICAS: AS SOLUÇÕES PROPOSTAS PREJUDICAM JUSTAMENTE OS MAIS POBRES

Por João Luiz Mauad, publicado pelo Instituto Liberal
Está em andamento a conferência anual de mudanças climáticas. O objetivo do encontro de duas semanas, conhecido como a 23ª Conferência das Partes (COP23), é negociar e descrever como implementar o Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, assinado por quase 200 países em dezembro de 2015, na tentativa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa.
Quem lê as notícias vindas de Bonn, na Alemanha, fica com a impressão de que a teoria das mudanças climáticas é dada como 100% certa para praticamente 100% dos conferencistas. Segundo esta teoria, praticamente tudo na nossa sociedade é tremendamente dependente da temperatura da superfície da terra, e, por isso, estamos caminhando para uma destruição certa e inescapável, a menos que aceitemos os conselhos dos sábios especialistas e “descarbonizemos” nossa economia. Infelizmente, entretanto, ninguém se atreveu a dizer como fazer isso, até porque ninguém sabe como.
Nas análises catastróficas dos experts da ONU, quase tudo o que acontece em nossa volta, como doenças, mortes, fomes, guerras, secas, inundações, desastres naturais, incêndios, para citar apenas alguns exemplos, de alguma forma é influenciado por emissões perniciosas de dióxido de carbono e pela alteração da temperatura média da superfície terrestre em apenas 0,9 graus Célsius.
O mais incrível é que as avaliações e previsões catastrofistas simplesmente ignoram a capacidade humana de se adaptar e prosperar em resposta aos desafios. A quintessência disso é o capítulo verdadeiramente terrível sobre a deterioração da saúde humana em razão das mudanças climáticas. Enquanto a morte, a doença e a pobreza são evocadas como consequências do aquecimento, não existe sequer uma menção ao fato de que a expectativa de vida na Terra é aproximadamente o dobro do que era em 1900, ou que a renda per capita é quase dez vezes mais do que era então. Enfatiza-se a ocorrência de doenças que de alguma forma se espalharão por causa do aquecimento, negligenciando o fato de que muitas delas eram em grande parte endêmicas no passado, quando o clima era mais frio, e foram erradicadas, justamente durante o pequeno aquecimento verificado no último século.
As gerações humanas dos últimos 150 anos, que obtiveram tantas vitórias contra as mazelas que atingiram nossos antepassados por milênios, conseguiram isso justamente graças à energia abundante, eficiente e barata proveniente da combustão de combustíveis fósseis. Pelo tom catastrofista e melancólico de seus comunicados, parece que os apologistas do fim das emissões de CO2 talvez preferissem que nenhum daqueles progressos humanos tivesse ocorrido, desde que não tivéssemos enviado tanto dióxido de carbono para a atmosfera. Que tal se esse pessoal saísse de suas salas confortáveis e refrigeradas e fosse até um dos vários locais no interior da África para ver como é o mundo sem a energia barata e abundante dos combustíveis fósseis?
Como muito bem escreveu o Dr. Jay Lehr, diretor do “The Heartland Institute”, “algum dia o mundo irá acordar e rir, quando as pessoas finalmente entenderem que tudo isso foi uma grande piada”. O problema é que estamos falando de uma piada caríssima. Ademais, os possíveis danos causados por políticas ambientais voltadas para a redução das emissões de CO2 podem ser bem maiores que os provocados pelo próprio aquecimento global, caso resolvêssemos simplesmente ignorá-lo. Se o terceiro mundo for privado de explorar seus recursos naturais, como carvão gás e petróleo, por exemplo, não só as populações desses países continuarão a sofrer com sua miséria, suas doenças e sua baixa expectativa de vida, como também jamais terão condições de proteger seu meio ambiente, como atualmente fazem os países ricos.
Como bem resumiram Roger Pielke e Daniel Sarewitz, em artigo para o Financial Times, “se, nas próximas décadas, a África alcançasse o crescimento econômico rápido, do tipo que a China tem experimentado, isso tiraria centenas de milhões de pessoas da pobreza. Mas como o mundo rico pode atestar, crescimento econômico requer consumo de energia em doses sempre crescentes – e em grande parte fornecida por combustíveis fósseis. Somente no ano passado, 1,4 bilhão de chineses foram responsáveis pela emissão de mais de 10 bilhões de toneladas de CO2, enquanto 1 bilhão de pessoas, em todo o continente africano, emitiram apenas um décimo disso. A População africana poderá exceder a da China dentro de uma década, chegando ao dobro em meados do século. Portanto, as perspectivas desses bilhões de pessoas dependem, em grande medida, do crescimento da sua produção de energia e consumo. Se quisermos reduzir as emissões sem condenar vastas áreas da humanidade à pobreza eterna, teremos de desenvolver tecnologias de energia de baixo custo e baixo teor de carbono que sejam apropriadas tanto aos EUA quanto à Bulgária, Nigéria ou Paquistão. Mas isto implicará sacrifício; exigirá investimentos de recursos significativos ao longo de muitas décadas. Até que estas tecnologias sejam trazidas à fruição, devemos trabalhar com o que temos. No mundo rico escolhemos crescimento econômico. É cruelmente hipócrita que nós tentemos impedir que os países pobres cresçam também.”
Todas estas evidências nos fariam qualquer um questionar se as mudanças climáticas são mesmo um problema científico que obteve suporte político, ou se estamos falando de ativistas e políticos que encontraram numa questão científica a forma de obter mais poder e controle. De fato, é bastante razoável intuir que as teorias escatológicas das mudanças climáticas são uma grande sacada dos modernos anticapitalistas, usadas para fazer avançar uma agenda política que favorece o planejamento central e a ação cada vez mais intrusiva de governos sobre a liberdade e a propriedade dos indivíduos.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017


ROCK IN RIO 2017 - RESUMÃO


Depois da pasmaceira do primeiro fim de semana em que pouca coisa se salvou,os últimos quatro dias do Rock in Rio vai deixar alguma coisa para a posteridade. Da primeira etapa, acho que ninguém lembra mais,  a não ser os fãs do Maroon Five, talvez alguma coisa de Alicia Keys e a emoção de Justin Timberlake com "Mirrors". Me abstenho de falar qualquer coisa sobre o palco Sunset e as bandas brasileiras, pelo simples fato de poderem serem vistas a qualquer hora pelos seus seguidores, e também por que não param de pagar micos a cada edição do festival, por exemplo Ney Matogrosso e Nação Zumbí, que  eu estava curioso prá ver e  foi um show constrangedor, e como excessão, alí aconteceu um bom show de Alice Cooper. Constrangedora também é a teimosia de tentar empurrar goela abaixo diversidade no lugar de qualidade, e vozes desafinadas como o fino da arte.
Nesta edição, por acaso e como excessões, aconteceram quatro shows históricos no palco Mundo. Na quinta, o primeiro dia da segunda etapa, (deixemos de lado Skalene, Fallout boy e Def leppard) sobrou o segundo melhor show do RIR, o Aerosmith desfilou seus grandes sucessos (quase todos) em grande forma e com integração total com o público. No segundo dia, desprezemos J. Quest, o Alter bridge com membros ex- Creed  não aconteceu, e falemos de Tears For Fears. Não por saudosismo, mas por fazerem o melhor show da noite. A música de alta qualidade pareceu não ter ressonância com a galera mais nova que não se agitou nem com "Shout". A noite terminou com Bon Jovi, que acho, ao contrário do que alguns críticos acham, fez um show abaixo do de 2013. Bon Jovi não escapou da caracteristica das grandes bandas deste festival, que é a queda de voz.
No terceiro dia, Titãs sem comentários, ops, só um,é melhor fazer crítica com música, como "Vossa Excelência" do que discursinhos opoirtunistas. Incubus ficou recolhido a sua insignificancia. Aí aconteceu o melhor show do RIR 2017, o The Who promoveu um show histórico, por acaso. Foi o primeiro show no Brasil nestes 50 anos da banda e talvez seja o último. Ver o The Who mesmo no seu final é como testemunhar a história do Rock, além do que a apresentação foi honestamente fiel ao som caracteristico da banda. Para fechar a noite, o terceiro  show histórico: o Guns & Roses fez uma viagem por toda sua carreira e todos os seus discos, desta vez com a volta de Slash, por longas três horas e meia, compensando o atraso de tres horas na edição 2013. Embora Axl  estivesse com a voz ainda mais sofrível, Slash só faltou tocar "Evidências".
Na última noite, Capital Inicial mostrou mais do mesmo, OffSpring fez uma viagem de volta aos anos 90 com um showzinho redondo para aficcionados, 30 Seconds to Mars vai ser lembrado pelo fato do vocalista- ator  ter voado na tirolesa, não há música para lembrar. Fechando o pobre festival, Red Hot Chilli Peppers encerrou de forma um pouco rápida sua apresentação, talvez comparado com o extended play do Guns na noite anterior. Lembro que o show na edição 2011 foi bem melhor, mas desta vez aconteceu no dia do aniversário do disco Blood Sugar Sex Magik  (lançado no dia 24 de setembro de 1991) aclamado como um dos maiores álbuns do Rock alternativo, do qual o maior hit é "Give it away", mas a melhor é "Under the Bridge". Não tocaram "Otherside" do meu disco preferido e não emocionaram muito, foi só de bom tamanho.
PS: Esta, sem dúvidas, foi a pior edição do Rock In Rio  de todos os tempos.  



terça-feira, 12 de setembro de 2017

TEMER OU NÃO TEMER (II)



Fora Temer!  foi o grito de guerra da esquerda petista e congêneres no último ano, embora a maioria da população respirasse aliviada pela saída da quadrilha de Lula e Dilma do poder.Depois de Dilma nunca mais ninguem foi prás ruas protestar nem bater panelas.Não que Temer seja o mais popular dos políticos a ocupar a cadeira presidencial, é que mesmo pertencendo a constelação de caciques corruptos que dominou a política brasileira depois do regime militar, Temer corre o risco de se tornar o (Vice) Presidente, junto a Itamar Franco, que mais se aproximou de domar a economia deste país irreal, e em apenas um ano.
Dá prá imaginar, se Temer caisse, como ficaria o país nestes longiquos meses até as eleições, sem ninguem comandando, mesmo precariamente,o barco. Então Temer deve ficar. E não sem motivo.  
De modo rápido, mal sentou na cadeira  partiu para a aprovação do limite de gastos.algo que sempre foi necessário e nunca tentado.Depois melhorou muito as leis trabalhistas com uma reforma quase perfeita. No seu governo, o país saiu de uma recessão que parecia sem prazo para um crescimento surpreendente até para os petistas que viram aí um sinal de perigo nas proximas eleições. 
Uma das principais melhoras sentidas (não para os alienados) na economia foi a brutal queda da inflação, que era de dois dígitos (10,7%) em dezembro de 2015, e está agora em 4,0%, portanto abaixo da meta de inflação de 4,5% (dados de abril). Essa é a inflação mais baixa desde julho de 2007, onde a inflação em 12 meses foi de 3,7%. O fortalecimento do real, que fechou 2015 no patamar de R$ / US$ 4,00, e está agora rodando em R$ / US$ 3,15, ajudado pela queda do risco-país e uma grande contribuição de safras recordes causando  a queda dos preços de alimentação.Em agosto passado, a inflação (12 meses) de alimentação domiciliar foi de 16,8%, e foi recuando até chegar a 2,5% em abril. Em abril do ano passado, a expectativa de inflação até 2020 estava em 5,0%. Já agora, está em 4,25% para 2020, apostando numa queda na meta da inflação para esse período.
Ea fantástica queda dos juros? Há quanto tempo não se via juros num patamar tão baixo? A nova diretoria do Banco Central entrou no governo com a Selic em 14,25%. Hoje, o juro nominal se encontra em 10,25% e a mediana das expectativas de mercado apontam para a Selic em 8,5% no fim do ano. 
A recessão brasileira, a pior dos últimos 120 anos, causada pelos "erros" de política econômica praticadas pelos governos petistas, parece que está ficando para trás. Depois de oito trimestres em queda consecutiva, as previsões apontam um crescimento real do PIB nesse ano está em 0,5%. Apesar de ser um ligeiro crescimento, é melhor do que as duas quedas do PIB de 2015 e 2016 (-3,8% e -3,6%).
A mídia parcial, que torceu para Temer cair depois da delação da JBS, não entende por que a bolsa está subindo tanto e bate recordes, não fazem links com Temer, mas o mercado faz. 
Atropelado pelas más companhias e suas conexões, Temer não conseguiu ainda emplacar a reforma mestra, a da Previdência, mas não é que quase conseguiu? mesmo que venha a coloca-la em discussão ,parece que não irá lograr muito êxito, de qualquer forma, abriu caminho para a discussão no futuro governo.
Quase desapercebido, Temer acabou com parte da burocracia para documentos federais  exigidos em contratos de negócios, muito explorados por cartórios. Outras decisões acertadas foram as nomeações das presidencias do BNDES e Petrobrás. 
O desemprego parou de crescer, mas infelizmente os empregos só voltarão com o crescimento da economia, e levará mais tempo dependendo  de uma normalidade sustentável e responsável do novo governo em 2018. 

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

IRMA - 2017


Considerado por antecedência como o maior furacão a se formar no lado do Atlântico, o Irma não vai entrar entre os Top dez dos mais destruidores furacões de todos os tempos. Dava prá sentir os defensores do aquecimento global que culpam o homem por qualquer fenômeno da natureza prontos para vomitar suas ladainhas, após um cenário de destruição e mortes que não aconteceu. O número de mortes nas Ilhas do caribe frente as tres mortes acidentais nos EUA evidencia tão somente a diferença entre um país de primeiro mundo de outro de terceiro. O que mata em maior proporção não é o desastre natural, mas o social. A organização e providências dos orgãos públicos antes da chegada do Irma foi decisivo para evitar ou diminuir perdas de vidas, aliás, o Irma não causou nada parecido com o mais mortal dos furacões do Atlântico, o The Great Hurricane de 1780, cujo total de danos é desconhecido mas causou mais de 22.000 mortes. Nesta época certamente não se culpou o aquecimento global, que é cíclico, por natureza.
Os cientistas que defendem que o aquecimento global é causado pelo homem, em troca de avalanches de verbas para suas pesquisas, deveriam se preocupar mais em descobrir formas tecnologicas para se salvar vidas, como aeronaves que não caiam sem explicação, ou no desenvolvimento de tecnicas para sobrevivencia nas áreas todo ano devastadas. Mesmo sem dados concretos que liguem as mudanças climáticas aos furacões, qualquer desastre natural é imediatamente ligado ao aquecimento global, embora os furacões atuais, junto com o Irma, tem o José  e o Kátia, tenham paralelos no passado. Em 2002 o Kenna foi o terceiro furacão categoria 5 da temporada, embora no pacífico. 
Não deu pé culpar Trump pelos furacões mas não poderia faltar alguém e Jenniffer Lawrence pagou o mico ao linkar o Irma à saída dos EUA do acordo de Paris, por outro lado o pernóstico Charlie Hebddo festejou o Harvey como punição aos nazistas do Texas. Neste caso a destruição do furacão Katrina, que devastou New Orleans, foi culpa do Obama?

Como disse Rodrigo Constantino, "a histeria parece ter tomado conta de todos atualmente, levando a concluir que qualquer catástrofe natural tem a mão do homem, através das indústrias. Furacões, inclusive mais intensos, sempre nos acompanharam, mas eis que agora o homem é seu causador!"
Para comprovar que o homem pouco sabe dos designios da natureza, o Irma pouco causou ao contrário do que esperavam, e ao contrário do Sandy, que no inicio parecia inofensivo e se tornou o segundo que mais causou prejuizo nos EUA, cerca de US 65 bilhões, e matou 187 pessoas nos EUA, Canadá e Caribe.
Andrew e Camille foram dois dos furacões de categoria 5 a atingir os EUA , Camille deixou 256 mortes em 1969 e depois dele houve a criação da escala de "Saffir-Simpson" que começou a classificar as tempestades nas categorias de 1a 5 com base na velocidade dos ventos.
Agora é uma questão de tempo esperar e observar se os furacões que vem por aí podem superar os antepassados em poder e destruição, e começar a lenga-lenga pela culpa do homem e seu castigo. Ainda neste ano poderemos ter algumas chances, depois do Jose e Kátia, já formados, vem aí o  Lee, o Maria, o Nate, o Ophelia...

domingo, 30 de julho de 2017

ENGENHEIROS: VARIÁVEIS ATUAIS

 A reeleitura do disco "Várias Variáveis" do grupo Engenheiros do Hawaii de 1991, nos mostra algumas curiosidades e referências  comuns naquele que parece já tão distante tempo,e desconhecidas das novas gerações tamanho é o deserto da música que se faz atualmente. A começar pela capa, que parece ter sido inspirada no álbum Internacionais do lendário grupo da Jovem Guarda Os Incríveis (foto abaixo), que com o fundo verde completa uma trilogia com A Revolta dos Dândis de 1988 (Capa amarela) e e Ouça O Que Eu Digo, Não Ouça Ninguém de 1988 (Capa Vermelha). O Nome do álbum Várias Variáveis refere-se a uma disciplina do curso de Engenharia. As engrenagens se referem a vários temas curiosos ou lembrados no disco como o Homem Vitruviano de Da Vinci; O lema "Senta a púa" da FAB; Um emoticon; Um símbolo radioativo; O Símbolo da ONU de ponta-cabeça. No centro, a serpente engolindo o rabo significa o recomeço.


Com alguns erros propositais,a qualidade da obra tem sido reconhecida pela mídia como um dos melhores álbuns do Rock brasileiro, o disco traz uma mensagem de insatisfação total com o rumo que o país tomava já naqueles idos finais dos anos 80, e uma das músicas mais relevantes e uma das minhas preferidas dos Engenheiros parece ter sido feita ontem, embora a violência tenha crescido em velocidade geométrica. Muros e Grades traduz o inicio da insegurança que tomou conta de todos nós, e 26 anos antes.
O Disco ainda parece advinhar o discurso e a divisão política no pais atual, nos versos da música "O Sonho é Popular" que ensina o que é a máxima do discurso fascista muito usada hoje em dia pela esquerda: "uma mentira repetida mil vezes se torna uma verdade".


PS:O Álbum dos Incríveis é do ano de 1968.




Engenheiros do Hawaii - Muros e Grades

quarta-feira, 26 de julho de 2017

TEMER OU NÃO TEMER


Temer é o terceiro Vice-Presidente a herdar o poder executivo depois da redemocratização ou coisa que a valha, e como sempre debaixo da desaprovação geral, até dos que não se lembravam que votaram nele na chapa. Prá piorar, deu mole e foi pêgo com as calças arriadas, mas isto todo mundo já sabe. O que quero falar é que ninguém parece notar que, embora corrupto como qualquer cacique de partidos em Brasília, Temer pareceu desde o inicio,  querer aproveitar sua tremenda rejeição para colocar algumas coisas nos trilhos e ser reconhecido mais tarde pela sua obra. Começando pela aprovação do teto de gastos, o que não é pouca coisa num país de gastadores, tentou emplacar a reforma da Previdência que, como até os petistas sabem, vai implodir em breve. Ainda não conseguiu, mas nesse meio tempo fez uma reforma trabalhista que só em acabar com o malfadado imposto sindical já valeu a pena, além de modernizar um pouco mais a famigerada CLT. Ainda no campo das reformas, embora no campo político o ressabiado Presidente seja triturado pela Globo e pelos oportunistas, o letrado Temer resolveu facilitar a vida dos cidadãos atacando a máfia dos cartórios e acabando com exigências fúteis de documentos que estão á disposição em orgãos oficiais do governo, o que é um alívio para quem pretende comprar um imóvel, por exemplo.No país dos hipócritas, os oportunistas querem mudar as regras e pedem eleiçoes diretas, a imprensa quer a queda do presidente, afinal quanto mais drama, melhor para a mídia, cujo imbróglio levaria o país a parar de novo por um ano, A média mais inteligente já entendeu que o menor dos males é deixar o Presidente caído tentar se reabilitar até ás proximas eleições, fazendo o possivel para que o próximo encontre o caminho menos pedregoso.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

O POLITICAMENTE INCORRETO DE TODOS OS ANOS

O Livro do Lobão escrito à sua maneira trollada é um delicioso e caústico relato dos bastidores do cenário Pop/Rock dos anos 80, mostrando a visão pessoal de um membro ativo dos movimentos pro-libertários que desembarcaram no meio artistico após o fim do regime militar. Contudo, e apesar de toda a saudade que acomete aqueles que viveram o período, quando a música ainda tinha certa importância em nossas vidas, só um tema me importou, até por que ele é referência em diversos casos no meio artistico nos últimos 50 anos: a chamada máfia do dendê. O termo cunhado por Lobâo no livro, para quem não se ligou, se refere à trupe dos baianos que, junto às divindades Chico Buarque e Roberto carlos, monopolizaram todos os movimentos na música brasileira com o auxilio luxuoso dos donos de gravadoras e mídias,  até o advento da Internet, atropelando ou derrubando quem não fosse simpático ao grupo.  Lobâo fala no livro que o Rock brasileiro que ameaçou os caciques da MPB por um tempo foi diluido e boicotado até a última nota por este grupo, ou grupos. Também devido a morte de alguns front-men e vacilos dos fortes, o Rock se rendeu a malemolência dos temperos brasileiros. Como resultado por incrivel coincidência, a música brasileira acabou em axé no inicio dos anos noventa, e por não ter força para  resistir tres meses do carnaval baiano, acabou derrapando para o Sertanejo. Sobre o Império baiano que ditou normas durante principalmente o período militar, é bom lembrar do ataque que sofreu Simonal que foi abatido em pleno vôo, sem provas ou direito de se defender, coisa típica da esquerda caviar que usa os mesmos artificios para atacar adversários até hoje: a mentira. Fagner reclamou muito da tropa baiana que tentou desfenestra-lo no inicio da carreira mas se salvou por se tornar amigo de Chico, e quem não sabe que Ritchie foi boicotado por vender mais discos que Roberto Carlos nos anos 80? E vendo de que lado estão os mesmos personagens hoje, é fácil imaginar quem condenou Simonal sem provas, ao inferno.  

quarta-feira, 12 de julho de 2017

REFORMA TRABALHISTA - ANTES TARDE DO QUE NUNCA


O Brasileiro sempre achou, e muita gente ainda acha , que o Brasil é uma terra milagrosa e por isto temos beneficios trabalhistas que não existem em nenhum outro lugar no mundo. Nós temos a Previdência Social, INSS, a contribuição que você paga, bem como o seu patrão, que  serve exclusivamente para sustentar os benefícios previdenciários de quem é aposentado ou pensionista. Em resumo, quem está na ativa financia quem está na inativa, em outras palavras, esses dois recolhimentos mensais que não formam um fundo monetário (uma poupança) em prol de você mesmo, o que é péssimo do ponto de vista financeiro, mas sim financiam uma pirâmide financeira que depende da entrada de novos recolhimentos para pagar aqueles que já recebem os benefícios.a) Quando você trabalha, na condição de empregado em uma empresa, você paga do seu bolso, em regra, 11% do seu salário bruto de contribuição previdenciária. Sendo que tal contribuição respeita o teto de R$ 5.189,82 (valor para o exercício 2016), não obstante, o seu patrão também deve pagar mensalmente uma contribuição patronal de 20% sobre o seu salário, sem respeitar nenhum teto, ou seja, no exemplo citado, a contribuição será de 20% sobre o salário de R$ 10.000,00.  Quem ganha nisso tudo é o governo que usa este dinheiro para financiar suas campanhas e emprestar dinheiro a juros de mercado.
Nós temos também um décimo-terceiro salário (oba!) cujo valor diluido deve ser diluído nos 12 meses que compõem o ano civil, ou seja, em cada mês você receberá 1/12 da sua gratificação natalina.Num caso em que você ganhe  R$ 10.000,00 / 12 = R$ 833,33 a mais por mês. Ao invés de esperar os meses de junho e/ou dezembro de cada ano para receber a sua parcela única ou as suas duas parcelas de 13.º salário, por que não receber de forma diluída em 12 vezes? Você dispõe do salário de forma antecipada e pode investir/utilizar tal benefício de forma mais rentável.
O FGTS, por sua vez, é uma parcela de 8% do seu salário bruto mensal que o seu patrão recolhe numa conta da Caixa Econômica Federal em seu nome. Em algum momento da sua vida (dispensa sem justa causa, aposentadoria, quitação de financiamento imobiliário, etc.) você poderá sacar esse valor corrigido. Poxa, que legal que o governo é! Não, não se iluda, meu caro! A correção desses valores depositados é feita com base na Taxa de Referência (TR) + 3,0% ao ano, ou seja, nos últimos 3 anos, essa correção foi, em média, de 4,5% ao ano. Isso é muito ou pouco? Isso é MUITO pouco! A taxa básica de juros (Selic) vai fechar 2016 acima dos 14,0% e a inflação bem acima dos 8,0%! Em resumo, o FGTS, ao invés de proteger o trabalhador, é um ardil adotado pelo governo para captar dinheiro do trabalhador, investir em aplicações rentáveis (ou empreiteiras do Minha Casa Minha Vida) e devolver o dinheiro futuramente com uma correção pífia.É praticamente um roubo institucionalizado em lei. 
Fonte: Ilisp
O que vai mudar para melhor e por que os partidos de esquerda e sindicatos brigaram tanto para atrapalhar a votação da reforma? A reforma acaba com privilégios dos chamados "Sindicatos" e melhora um pouco o engessamento provocado pela CLT. Primeiro por que patrões e empregados agora poderão negociar férias e horários de acordo com as necessidades de ambos, podendo serem criadas outras figuras de representação além de sindicatos, como representantes formados na propria empresa. Pode-se negociar o período de férias ou distribuir as horas de trabalho, ou como aproveitar um feriado, o que antes era proibido: Formas de trabalhos modernas como produzir em casa, podem ser aproveitadas de varias formas ,como em caso de gestantes, ou trabalhos que possam ser feitos em casa: Demissões podem ser negociadas entre patrões e empregados e estes poderão sacar o FGTS pagando 20% sobre o saldo: Trabalhadores terceirizados passam a ter direitos trabalhistas. em caso de dispensa ocorre uma quarentena de dezoito meses:Contratos temporários também podem ganhar direitos, quem hoje trabalha menos de 44 horas semanais não possui nenhum: O melhor é que o trabalhador deixa de ser obrigado a pagar imposto sindical, com mais de 15 mil sindicatos o Brasil não tem concorrente neste ítem, graças a este imposto que retira um dia de trabalho por ano dos trabalhadores, os sindicatos recolhem cerca de 3,9 bilhões para fazerem greves quando for oportuno e enriquecer seus membros, enfim ,para não fazerem nada de útil para o trabalhador e pro país.

sábado, 8 de julho de 2017

O ROCK ESTÁ MORTO. VIVA O ROCK

Devo me conformar, o Rock morreu em meado dos anos 2000. Estes são seus últimos quatro suspiros. Não necessariamente nesta ordem.

domingo, 4 de junho de 2017

VISÃO BLÓGICA : ACORDA, PARIS

VISÃO BLÓGICA : ACORDA, PARIS: Procure informações sobre o aquecimento global propagado por alguns cientistas e pela ONU como o desastre da Terra num futuro proximo pel...

ACORDA, PARIS


Procure informações sobre o aquecimento global propagado por alguns cientistas e pela ONU como o desastre da Terra num futuro proximo pela elevação da temperatura causada pela emissão de gás carbônico  na atmosfera. A primeira coisa que se nota é que os defensores da hecatombe terráquea não tem dados, apenas hipóteses. Alguns estudiosos céticos apontam que estas grandes e catastróficas declarações é uma excelente estratégia para os defensores do acordo de parís adotarem, já que embora o resultado (do acordo) seja praticamente nulo, pela falta de dados alarmantes, ele custará uma fortuna, basicamente bancada pelos EUA, distribuida generosamente entre os grupos que teoricamente estão defendendo o planeta.
Há basicamente tres grupos envolvidos ou lidando com esta questão. Os grupos 1 e 2 são cientistas com posições antagônicas , e o 3 é formado por políticos, ambientalistas e mídia.
O grupo 1 é associado ao Painel Internacional de Mudanças Climáticas da ONU, ou IPCC, são os que acreditam que a queima de combustíveis fósseis como o carvão e petróleo liberando Co2 (Dióxido de Carbono) na atmosfera pode, eventual e perigosamente, aquecer a terra.
O Grupo 2, os céticos, argumentam que são vários os fatores que influenciam o clima, como o sol, as nuvens, oceanos e as variações orbitais da terra, e nenhuma evidência de que as emissões de CO2 sejam um fator prepoderante.
Pegando os fatos em que os dois grupos concordam temos:  A de que o clima está sempre mudando; O CO2 é um gás de efeito estufa sem o qual a vida na terra não seria possivel; Nos ultimos dois séculos a temperatura aumentou ligeira e erraticamente cerca de 1º Célsius, mas somente a partir dos anos 60 o homem começou a aumentar a emissão de gases; O cenário de que a queima de combustiveis fósseis pelo homem leva a uma catástrofe não foi afirmada por nenhum dos grupos.
Então por que tantas pessoas preocupadas, xingando o Trump, em verdadeiro pânico com esta questão? Aí entra o Grupo 3.
O alarmismo do aquecimento global fornece aos políticos, ambientalistas e mídia , o que eles mais precisam: para políticos,poder e dinheiro; para os ambientalistas, dinheiro para suas organizações e para a mídia, ideologia,dinheiro e manchetes.
Bjorn Lomborg, presidente do centro de consenso de Copenhagem, tomou o plano de energia limpa do governo Obama e usando o mesmo método de previsão climática da ONU, chegou a conclusão de que mesmo que as emissões de carbono sejam totalmente implementadas, não somente nos 14 anos previstos pelo acordo, mas para o resto do século, o plano reduziria a temperatura em 2100 em apenas  0,013ºC.
Já colocando na conta o acordo de Paris com o resto do mundo, e considerando generosamente que todos cumpram suas metas não só até 2030, o que seria uma surpresa, mas pelo resto do século, as temperaturas cairiam em 2100, 0,017ºC, O ganho irrisório não impressiona mais do que o gasto que o pacto custará: entre 1 a 2 trilhões de dólares por ano.
A redução proposta de forma arbitrária, mas plenamente aceita pelos governos, de alcançar a redução de 2%, só será realmente aplicada após 2030, mas mesmo que sacrificios heróicos sejam feitos por todos, o objetivo não tem garantias de ser alcançado.
Trump ao sair do acordo de paris indicou que o tal acordo é a solução errada para um problema real. Ao invés de tratados políticos e subsidios governamentais globais, cada pais deveria investir em pesquisas sérias em busca de energia limpa.
Mas os capitalistas de ocasião agarraram-se aos subsidios ofertados generosamente pelos governos onde os grupos que fingem gritar pelo planeta nadam em dinheiro, fazendo com que o grupo 3 venha vencendo a discussão e sufocando o debate que deveria estar acontecendo.
Contudo, ouvindo o Professor Richard Lindsen, professor de Ciências Atmosféricas do MIT, "apesar de politicos, ambientalistas e imprensa  poderem desperdiçar um bocado de dinheiro à toa e assustar um bocado de gente, eles não tem a capacidade de esconder a verdade. O clima terá a palavra final."

sábado, 3 de junho de 2017

A ENGENHARIA DO AQUECIMENTO GLOBAL


O "aquecimento global" — que atualmente está congelando a Europa com temperaturas tão quentes quanto os - 33ºC na Polônia, um novo recorde — é uma invenção, até certo ponto genial, de poderosos grupos de interesse cuja intenção é tomar a riqueza das pessoas produtivas e transferi-la para seus próprios bolsos, tudo em nome de se estar salvando o planeta da total destruição causada pelo CO2 — o mesmo gás que mantém as plantas vivas. 
Os maiores proponentes da farsa aquecimentista são grandes empresas, institutos de pesquisa e ONGs, todas de olho no butim que os governos repassariam alegremente a elas, após tributarem todo o setor produtivo.  É claro que os próprios governos também abiscoitariam parte dessa pilhagem para eles próprios, pois burocratas também precisam comer.  Impor várias formas de restrições e controles, um sonho de todo governo, também é um dos objetivos por trás da agenda do aquecimento global. 
Políticos adoram propagandear o mito do aquecimento global como veículo para sua exaltação pessoal.  Já as burocracias supranacionais, como a ONU, encontram no aquecimento global um maravilhoso veículo para a sua própria expansão. 
Sempre denunciamos esse esquema e, por causa disso, leitores sempre nos atacaram, dizendo que estamos apenas querendo ser polêmicos e posar de radicais.
Pois um recente vazamento do WikiLeaks mostra que é exatamente assim mesmo que a coisa funciona.
Em 2009, o WikiLeaks já havia espalhado gostosamente dejetos no ventilador, vazando os dados do climategate.  Agora, descobriu-se que o governo americano, sob o comando de seu mundialmente ungido presidente, utilizou espiões, mentiu e subornou, tudo para promover a falácia do aquecimento global.  O objetivo de tudo isso? Ora, o de sempre: obter mais poder e riqueza para os estados e seus aliados, tudo à custa de terceiros.
A reportagem — do jornal esquerdista The Guardian — tem trechos bastante interessantes.  De acordo com os dados vazados pelo WikiLeaks, os países que se recusavam a obedecer à agenda aquecimentista ditada pelos EUA eram chantageados.  O país criou uma secreta e ofensiva diplomacia global para esmagar qualquer oposição ao controverso "acordo de Copenhague".  Foram prometidos vários bilhões de dólares para os países subdesenvolvidos que aceitassem obedecer às ordens climáticas.  Consequentemente, países pobres passaram a utilizar essa promessa de ajuda financeira como forma de barganhar apoio político.  Truques contábeis, desconfiança e promessas quebradas tornaram-se essenciais para se vencer qualquer negociação.
Como a própria reportagem do jornal progressista admite, "negociar tratados climáticos é um jogo que envolve altos riscos", pois "fazer uma reengenharia da economia global, de modo a adaptá-la a um modelo de baixo carbono, fará com que bilhões de dólares sejam redirecionados."
A China e a Índia, que estão mais interessadas em enriquecer a ver suas economias amarradas por causa de uma ameaça inexistente, obviamente não deram a mínima pelota para patacoadas como o Protocolo de Kyoto.  Para os países mais pobres, incapazes de causar qualquer aquecimento, foi prometida uma ajuda de US$ 30 bilhões em troca de medidas que irão amarrar suas economias.  O primeiro-ministro das Maldivas rapidamente se entusiasmou e ligou para Hillary Clinton, dizendo que apoiava resolutamente qualquer coisa.  As ilhas do Pacífico também ficaram entusiasmadíssimas com a promessa desse butim, e entraram na fila com o chapéu na mão.  De acordo com Connie Hedegaard, comissária da União Européia para ações climáticas (sim, existe isso), tais países "podem ser nossos melhores aliados, considerando-se suas necessidades financeiras".
As negociações com a Etiópia foram mais diretas: "Assine agora ou não tem mais conversa!".  Ao primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, só restou choramingar e implorar alguma garantia de que Barack Obama irá cumprir o acordo e mandar uns trocados para ele.
Traduzindo: políticos comprometem o futuro da economia de seus países — e, consequentemente, o bem-estar de sua população — por um punhado de dólares (chamados de "assistência climática").
O Brasil aparece na lista dos países "poderosos" e "de economia crescente" "contra os quais os EUA estão determinados a buscar aliados". 
A Arábia Saudita, por sua vez, deixou claro que está estudando formas de "exigir algo mais esperto" e que não lhe imponha vinculações obrigatórias.  O objetivo é apenas dar a entender que está cooperando.  Tudo para ganhar o dinheiro prometido aos países que cooperassem.
Ou seja, os documentos vazados pelo WikiLeaks comprovam aquilo que sempre dissemos: o "aquecimento global" nada mais é do que uma criação política que visa a uma redistribuição de renda e uma subsequente concentração de poder, com a implantação final de um governo único que fará o planejamento centralizado de toda a economia do planeta.  Governos de países ricos utilizam o dinheiro de impostos de seus cidadãos para subornar políticos de países emergentes a adotarem medidas que irão amarrar suas economias e reduzir o padrão de vida de sua população.  Tais medidas serão em benefícios de grandes empresas, ONGs, institutos de pesquisa e grupos de interesse, os quais passarão a ditar regras e a receber vastas quantias de dinheiro em troca de "soluções mais verdes" para a economia mundial.
No final, há a criação de uma burocracia supranacional, que passará a comandar a economia global e a ditar os costumes dos cidadãos de todo o mundo.  Aquilo que parecia delírios de fanáticos conspiracionistas já se encontra em prática avançada.
Sempre que você ouvir um político pontificando sobre aquecimento global, pense nessa classe parasitária e em inúmeros lobistas enchendo as burras de dinheiro oriundo de impostos, e tudo à custa do padrão de vida dos países mais pobres.
Trata-se de uma verdade inconveniente para os crentes genuínos dessa escatalogia do aquecimento final.  Vida longa a Julian Assange.
Fonte:Mises Brasil

sexta-feira, 19 de maio de 2017

QUEM QUER TIRAR TEMER?

Sem querer defender Temer. Na minha opinião o fato do Presidente discutir assuntos de interesse do país com um empresário investigado pela Lava-jato é caso de pedido de Impeachmeant e não tem justificativa. No nosso caso, queremos que qualquer corrupto, seja de qual partido for, tem que ir prá cadeia, mas o caso envolvendo Temer e o empresário da JBS tem alguns contornos misteriosos que ainda não foram explorados pelos jornalistas e especialistas em política, envolvendo um número bastante abrangente de personagens, alguns invisiveis,mas todos interligados.
Dando uma de Shelock Holmes, parece bastante curioso que Temer não tenha tomado as devidas precauções ao tratar , mesmo que a conversa fosse informal, com alguém que teve sua empresa apadrinhada pelos governantes do PT, e que estava toda enrolada na justiça, a não ser que este gozasse dos mesmos segredos, inconfessáveis, segundo o montante de dinheiro destinado ao onipresente Eduardo Cunha. Não pareceu que Temer estivesse precavido quanto aos que não querem que o Brasil volte a crescer este ano, ou que interessa ao PT, e aos tantos outros partidos com candidatos , que o Brasil permaneça no caos até ás eleições, o que facilitaria  a volta dos salvador dos pobres, ele, o Lula.  Estranhei também os audios terem sidos entregues de bandeja ao colunista do "O Globo", Lauro Jardim, não tanto pelos seus lindos olhos, mas pela sua simpatia aos "Fora Temer" da vida. (Em entrevista ao Pedro Bial, ele falou que a fonte, entre a justiça e a politica, era mais proxima a ele). Casualmente, o vazamento das fitas, que forçou a liberação pelo STF, acontece num momento em que se torna quase unânime a sensação de que Lula será condenado em primeir instância em 20 dias, diminuindo o prazo de Lula chegar a tempo de ser candidato em 2018, o que apressou a agenda do PT , cujos adeptos clamam nas praças por "diretas já". Estranho,  já ter até u m pedido de Impeachmeant pronto impetrado  por um dos deputados (Molon) de um partido subsidiário.
Estranho os delatores aceitarem gravar a conversa com o Presidente, na primeira delação acompanhada , alegarem ameaças de morte (por quem?),  estranho se mandarem prá Nova York depois de receberem 8 bilhões do BNDES, depois de distribuirem doações á partidos políticos abençoados pelo governo petista. Estranho isto acontecer quando a economia poderia entrar na espiral de crescimento após as reformas propostas pelo governo Temer. O que não seria nada bom para os que querem voltar com força total e dizimadora em 2018.  

domingo, 14 de maio de 2017

BOLSONARO - XEQUE-MATE

CONFIRMADO: A ESQUERDA É BURRA.

A entrevista do deputado Jair Bolsonaro ao filho de Miriam Leitão me levou a refletir que a esquerda, derrotada no campo dos argumentos e debaixo de uma tempestade de lama em cima dos seus maiores líderes, há tempos está procurando em todos os campos culpados que possam amenizar  a queda. O alvo principal foi  desde sempre o regime que os derrotou , o regime militar, e a caçada começou com a implantação da comissão dita, da verdade petista, mas durante o entrevero com Bolsonaro pode se notar que a busca por falhas e erros cometidos pelos militares continua, com o claro objetivo de barrar a ascenção da direita no Brasil. Sem muitos argumentos , o jornalista foi trucidado por Bolsonaro, mas o deputado poderia ter ido mais além. Durante a opressiva entrevista  em que o acanhado filhote da esquerda repetia que houve uma ditadura maléfica para o povo brasileiro, faltou dizer que o referido jornalista  não viveu o período, ao contrário do deputado e que se ele já tinha opinião formada o que queria descobrir de novo, a não ser  factóides  para denegrir as forças armadas no seu livro. Faltou comparações com o número de mortos, presos e desaparecidos com as ditaduras no resto da America do Sul, que mostra que o combate dos militares brasileiros ocorreu apenas contra os terrorista e simpáticos ao regime comunista e não contra  a população em geral como ocorre nas ditaduras reais defendidas aliás, pelos próprios filhotes vermelhos. A aridez de fatos que podem atentar contra os presidentes militares faz com que a esquerda derrotada busque até nas matas do norte possiveis vítimas do regime militar, como prova do terrível período, como fez  o jornalista que alegou um remoto caso de meningite  como culpa dos militares. Faltou culpar o regime do PT pelos casos de microcefalia no ano passado, mas não precisava. A direita vence qualquer debate por que está com a verdade e não abre mão dela. A esquerda,e seus piores pensadores, está  em pânico, como os que hibernavam no meio artístico mamando verbas públicas e que foram agora acordados por novas  visões antagonicas que lhe apareceram como pesadelos . Como não estão acostumados com idéias plurais e defendem  apenas o que lhes convém, sete cineastas de esquerda tentaram boicotar a mostra PE de cinema retirando seus filmetes  por que não concordaram em disputar o mesmo lugar com idéias contraditórias. E este pessoal  fala  em Democracia como se respeitassem o seu significado.

A MAIORIA VAI FALAR

Por várias décadas a esquerda conseguiu implantar sua doutrinação com o objetivo de unificar o pensamento das massas através da sub-ideologia que prega o absolutismo nas ideias. Como uma reação humana não estava no programa foram surpreendidos quando, o pendulum da lógica e  que regula o cosmos, acordou a parte da população que não foi absorvida provocando o inicio da batalha de pensamentos que se trava hoje nos meios de comunicação, principalmente na área livre dos blogs e redes sociais, estes o fator libertador que deu voz aos que estavam reféns da midia a serviço dos estados. Em pânico, a esquerda, que dominava os meios de comunicação começou a ser questionada, atacada e massacrada pelo simples motivo de que suas argumentações não resistem ao mais tenro debate numa area justa, o que pode ser visto e medido nos comentários de redes como o You Tube e Twitter. Todas as páginas de viés esquerdista como Mídia Ninja e Quebrando o Tabú , para falar nas nacionais, são trucidadas nos comentários, assim como videos que defendem politicos socialistas, regressistas e corruptos. Isto está acontecendo por que além do óbvio que se vê, a esquerda usa sempre as minorias  como escudos humanos e chamar os contrários às suas ideias de fascistas  não está colando mais.
Como estão perdendo nos argumentos, as forças encravadas nas instituições de poder, resolveram apelar pro tudo ou nada e impor a censura restritiva no You Tube e outra redes,como forma de frear as ideias que eles consideram prejudiciais à democracia e a sociedade, na verdade a sociedade do pensamento único, simplesmente taxando-o de fascistas, machistas ou homofóbicos.A liberdade de expressão não aceita pelos esquerdistas pode ser considerada perigosa ao ser rotulada de extrema direita ou xenófoba.
A patrulha ideologica que está entranhada em todas as esferas dos movimentos nacionais, se mostra mais relutante em aceitar a nova ordem no meio artistico, por definição ou por costume, um antro de militontos esquerdistas,  que se alimentou todo o tempo em que o PT esteve no poder, de verbas públicas
Numa amostra de cinema em Pernambuco semana passada, alguns cineastas que cresceram alimentados pela lei Rouanet e que acham que o cinema nacional é de interesse particular, retiraram seus sete filmes em protesto contra a inclusão de dois filmes considerados de direita sob a alegação de que não há como dialogar com um pensamento alinhado à golpistas e á extrema-direita. Mais patético impossivel, mas o recado básico que fica é que qualquer um que se atreva a desafiar o pensamento esquerdista imposto sobre qualquer coisa é um extremista perigoso que deve ser calado.
O medo já está mais do que aparente ao tentarem restringir videos da direita  no You Tube, afinal os jovens da geração Z estão cada vez mais caindo pro lado conservador e a audiencia dos big brothers está diminuindo o que põe o stablishiment em pânico. E tome pau pra todo lado na grande mídia em cima dos conservadores e politicos de direita como Trump, Olavo de carvalho,
Le pen ou Milos Yannopoulos, para a esquerda o que interessa é manter o medo de falar com zero de diversidade de pensamento, mas graças a multiplicação dos que se manifestam por liberdade de expressão o terreno está ficando estreito para quem não consegue raciocinar com mais de dois neurônios.

terça-feira, 18 de abril de 2017

SEU FILHO PODE JÁ TER SIDO DOUTRINADO E VOCÊ NÃO SABE

Se seu filho gostar de vociferar palavras como 'Fascista", "Homofóbico" ou "Nazista", com certeza ele aprendeu na escola. As sessões mostradas em vídeos da comissão que debate o projeto da Escola sem Partido são muito didáticas e trazem para a luz o que foi feito por décadas na clandestinidade nas escolas,públicas em sua maioria, abragendo crianças desde o ensino fundamental, passando pelos adolescentes e encontrando um esquema já armado nas universidades. O Projeto para a educação brasileira feita por Paulo Freire foi um sucesso nas ýltimas décadas, pelo menos duas gerações foram perdidas, transformadas em sua grande maioria em analfabetos funcionais. Os doutrinadores, professores doentes e contaminados pelos pensamentos dos seus ícones,  fizeram sua parte como parte da engrenagem, cujo objetivo já bem claro, é acabar com a capacidade de pensar , raciocinar e ter um leque de ideias á disposição dos alunos e de quebra, ocupar o tempo de estudo das matérias fundamentais, as que trazem conhecimento, para difundir suas ideias confusas sobre o que não é papel da escola fazer, como luta de classes, ou teorias sobre gêneros.
O objetivo maior desta turma de psico -esquerdopatas é o caos, mas os caminhos são variados. Em um dos mais surpreendentes momentos nas sessões da discussão sobre o projeto, uma dita socióloga  tascou que é um engano pensar que a criança pertence á família. Isto já bastaria para por fim a qualquer tentativa de debate, mas o Brasil é um país democrático, ao contrário da esquerda, isto trouxe á discussão sobre as crianças que entregavam seus pais na antiga URSS, até por terem uma bíblia em casa, mas a questão é muito mais complexa agora, as crianças são doutrinadas para se desligarem da família, como se estivessem tomando um caminho virtuoso. Entram no rol as lutas contra a homofobia e o racismo. A defesa de pautas como famílias alternativas e o ódio contra o capitalismo opressor, coisas que pensávamos estar extintas.
A desobediencia civil é ensinada na escola do seu filho transformada em lutas para preservar direitos, e como a esquerda não é muito coerente, põe os coitados para lutarem contra reformas que tentam mudar o quadro negro da educação atual. Muitos protestam contra a homofobia usando a camisa de Che Guevara. A escola sem partido prevê que as escolas tenham placas de aviso com os deveres dos professores e direitos dos alunos. Os doutrinadores estão chiando. A educação do Brasil nos últimos anos ocupou os últimos lugares do PISA, chutando apenas alguns países africanos pobres, isto já é um argumento mais do que consistente de que este modelo tem que acabar. Talvez em dez anos tenhamos de novo alunos que saibam ler, escrever, e interpretar textos. Amém.

domingo, 16 de abril de 2017

LULA, O "HOAX"

Os cientistas políticos brasileiros, se os brasileiros os ouvissem, teriam muito a explicar sobre o silêncio que sempre cercou a trajetória estelar do líder dos  metalúrgicos que chegou ao poder sem nunca ter lido um livro de...digamos, Machado de Assis. Há tempos escreví sobre como Lula foi "usado", de bom grado, pela "inteligentsia" socialista para alcançar a Presidência da República e daí começar o domínio do Foro de S.Paulo na América do Sul. Duvido que Lula tenha lido as lições que lhe passaram, para conhecer Gransci e a forma que teria de seguir para dominar o mundo, já que parece gostar mais de uma mamada num litro de 51, mas só agora algumas vozes começam a desconfiar que parece inverossímel, um despreparado como Lula que foi considerado inofensivo pelo regime militar, ser o arquiteto do plano maquiavélico que ferrou com o país nos últimos 13 anos. 
A delação dos executivos da Odebrecht, que mostrou a república  mais corrupta do mundo ao vivo e a côres, mostra que Lula sabia de todo o processo, como sempre se soube, mas quando ele diz que não sabia, entendo que ele não tinha capacidade de entender. Lula, foi usado como garôto-propaganda desde o inicio, e gostou da vida boa e fácil, mas não queria saber o que faziam seus criadores, a única exigência, segundo alguns relatos, era darem alguma esmola para os pobres, o que até o protegeu por muito tempo e ainda o protege. Como todo indivíduo que vem das camadas pobres, como eu quando tive acesso á maçãs e queria guadá-las em grande número no meu armário, Lula tratou de ajeitar sua família  usando sua influência, não quis por seu nome nos presentes que recebeu como propina, o que demostra como ele é pequeno diante do Mito que foi fabricado e se criou.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

ATÉ QUE ENFIM...

Eduardo Paes, o "Nervosinho" da planilha da Odebrecht, e seu comparsa que concorreu á prefeitura do Rio,finalmente foram entregues pelos delatores que o acusam pelo recebimento de 11, digo onze milhões de reais em espécie e 5 milhões de dólares em conta no exterior, como sempre alegado, para a campanha de reeleição em 2012.
Nunca gostei do prefeito em pauta, e sempre desconfiei que é corrupto, até por ser chegado ao Lula, mas o que não perdôo é ter mudado a cara de pontos históricos do Rio, principalmente com a destruição do elevado da Perimetral, com um custo elevado e totalmente inútil, apenas para deixar sua marca e alavancar sua candidatura à, quem sabe, Presidência da República. Revitalizar a zona portuária, uma zona destinada a ser sombria pela própria natureza e transtornar o centro do Rio foi o seu legado. Milhões para destruir uma obra segura e milhões para construir obras polêmicas, como o estreitamento da linda e histórica Av Rio Branco, e a retirada de moradores dos arredores da Gamboa. Só por isso já desejo uma boa temporada nas nossas melhores cadeias.

A DELAÇÃO QUE TODOS SABIAM


As delações da Odebrecht, em videos liberados pelo Ministro Fachin, na verdade não traz nenhuma novidade, além do que todo mundo sabia ou desconfiava. Apenas confirmou onde foi parar o dinheiro que foi extraído da Petrobrás e outros orgãos estatais, tendo como consequência a quebra dos estados e dos serviços essenciais para a população como a educação e saúde, por exemplo. Mas a população, no fundo, é vítima dos seus próprios erros ao deixar por tempo longo demais o destino da nação na mão de um sistema político que desde sempre, após a constituição de 88, foi criado para beneficiar a classe política e seus devotos, não por acaso sempre falei que os Brasileiros confundiram abandono com liberdade. O Brasileiro, tem que aceitar, se preocupa demais com futebol e carnaval. Se satisfaz com um churrasco e meia-dúzia de cervejas  e nem sente o que está entrando por trás, até que chega aos 40 milhões de desempregados, computando aí os 25 milhões que recebem bolsa-familia que contam como empregados. A Cúpula do poder dos últimos trinta anos está no rol da delação da empreiteira como tendo recebido propinas generosas e isto já mostra que o sistema faliu há tempos , estamos num barco á deriva, mas o pior é que em um país sério, até num país como o Perú, eles estariam em cana, sem nenhuma cerimônia.

As figuras que são mostradas agora, pela mídia, com perplexidade até, são figuras que, sempre se soube, corruptas e manipuladoras, cânceres da nação, covardes em todos os sentidos. Chega a ser um escárnio, ter que ouvir os mesmos de sempre gritarem inocência, depois de se locupletarem do dinheiro público em beneficio próprio. Não, tolos.
Mídia inofensiva. O grosso dos desvios e propinas não são para campanhas eleitorais, o que já é crime grave. Não se salva nenhum para defender a dignidade e assuma como um erro e peça desculpas, como um inglês. É coisa de brasileiro, malandro que se dá bem. Esperando os feriados e o carnaval.Como diz Bolsonaro:Canalhas!