Translate

domingo, 30 de julho de 2017

ENGENHEIROS: VARIÁVEIS ATUAIS

 A reeleitura do disco "Várias Variáveis" do grupo Engenheiros do Hawaii de 1991, nos mostra algumas curiosidades e referências  comuns naquele que parece já tão distante tempo,e desconhecidas das novas gerações tamanho é o deserto da música que se faz atualmente. A começar pela capa, que parece ter sido inspirada no álbum Internacionais do lendário grupo da Jovem Guarda Os Incríveis (foto abaixo), que com o fundo verde completa uma trilogia com A Revolta dos Dândis de 1988 (Capa amarela) e e Ouça O Que Eu Digo, Não Ouça Ninguém de 1988 (Capa Vermelha). O Nome do álbum Várias Variáveis refere-se a uma disciplina do curso de Engenharia. As engrenagens se referem a vários temas curiosos ou lembrados no disco como o Homem Vitruviano de Da Vinci; O lema "Senta a púa" da FAB; Um emoticon; Um símbolo radioativo; O Símbolo da ONU de ponta-cabeça. No centro, a serpente engolindo o rabo significa o recomeço.


Com alguns erros propositais,a qualidade da obra tem sido reconhecida pela mídia como um dos melhores álbuns do Rock brasileiro, o disco traz uma mensagem de insatisfação total com o rumo que o país tomava já naqueles idos finais dos anos 80, e uma das músicas mais relevantes e uma das minhas preferidas dos Engenheiros parece ter sido feita ontem, embora a violência tenha crescido em velocidade geométrica. Muros e Grades traduz o inicio da insegurança que tomou conta de todos nós, e 26 anos antes.
O Disco ainda parece advinhar o discurso e a divisão política no pais atual, nos versos da música "O Sonho é Popular" que ensina o que é a máxima do discurso fascista muito usada hoje em dia pela esquerda: "uma mentira repetida mil vezes se torna uma verdade".


PS:O Álbum dos Incríveis é do ano de 1968.