Translate

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

INCEPTION (A ORIGEM?)

Os títulos em português são ridiculos há muito tempo, INCEPTION apesar do roteiro turbulento não merecia esta tradução,se bem que não consegui me concentrar no filme em tres tentativas, o filme parece um pesadelo e vou esperar mais um tempo para tentar achar algum nexo, aliás o DI CAPPRIO está se especializando em filmes que cortejam o subsconciente como o anterior ILHA DO MEDO, parece que o meu amigo João Moura gostou. O bonequinho dormiu,ou estaria sonhando?

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

FALANDO DE POLITICA














PERFEIÇÃO

Legião Urbana

Composição: Renato Russo

Vamos celebrarA estupidez humana.A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja de assassinos Covardes, estupradoresE ladrões...
Vamos celebrarA estupidez do povo,Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo E nosso estado que não é nação...
Celebrar a juventude sem escolas As crianças mortas Celebrar nossa desunião...
Vamos celebrar Eros e Thanatos Persephone e Hades,
Vamos celebrar nossa tristezaVamos celebrar nossa vaidade...
Vamos comemorar como idiotas, A cada fevereiro e feriado,
Todos os mortos nas estradas Os mortos por falta De hospitais...
Vamos celebrar nossa justiçaA ganância e a difamaçãoVamos celebrar os preconceitosO voto dos analfabetosComemorar a água podreE todos os impostosQueimadas, mentirasE seqüestros...
Nosso casteloDe cartas marcadasO trabalho escravoNosso pequeno universoToda a hipocrisiaE toda a afetaçãoTodo roubo e toda indiferençaVamos celebrar epidemiasÉ a festa da torcida campeã...
Vamos celebrar a fomeNão ter a quem ouvirNão se ter a quem amarVamos alimentar o que é maldadeVamos machucar o coração...
Vamos celebrar nossa bandeiraNosso passadoDe absurdos gloriososTudo que é gratuito e feioTudo o que é normalVamos cantar juntosO hino nacionalA lágrima é verdadeiraVamos celebrar nossa saudadeComemorar a nossa solidão...
Vamos festejar a invejaA intolerânciaA incompreensãoVamos festejar a violênciaE esquecer a nossa genteQue trabalhou honestamenteA vida inteiraE agora não tem maisDireito a nada...
Vamos celebrar a aberraçãoDe toda a nossa faltaDe bom sensoNosso descaso por educaçãoVamos celebrar o horrorDe tudo istoCom festa, velório e caixãoTá tudo morto e enterrado agoraJá que também podemos celebrarA estupidez de quem cantouEssa canção...
Venha!Meu coração está com pressaQuando a esperança está dispersaSó a verdade me libertaChega de maldade e ilusãoVenha!O amor tem sempre a porta abertaE vem chegando a primaveraNosso futuro recomeçaVenha!Que o que vem é Perfeição!...

domingo, 22 de agosto de 2010

OPERAÇÃO "ARADIA"

CAPITULO 4

- Fada, Bruxa ou Anjo? era a primeira pergunta que eu poderia fazer.
O manuscrito, apócrifo como deveria ser, ensinava que se as emoções surgem de uma dimensão desconhecida não precisava ser um dos senhores do mundo para manipulá-las, todos nós vivemos fazendo isto todos os dias.
Eu, Joanny e Ária começamos a traçar a "operação" por brincadeira enquanto falávamos de politica ou do último disco do Smashing Punpkins, tomando ¨Vodka com laranja no ¨¨ . Joanny era um estudioso da cabala e apaixonado por enigmas trancendentais, por tudo aquilo que é inexplicavel para o ser comum.Credo cria absurdum est, ou seja "Creio porque é absurdo", era a frase que o denominava.
Assim foi o projeto dividido em três fases, sendo que na primeira eu poderia fazer três perguntas, em qualquer lugar, na verdade duas pois a terceira era uma cilada que daria a Valeren quase claramente as palavras que desfariam o encanto, e anularia todo o processo, pois a primeira regra era a não-interferência. As perguntas nem precisavam serem respondidas, pois eu sabia as respostas,elas apenas tinham o objetivo de despertar em Valeren três de suas qualidades ou habilidades: A curiosidade, a boa-vontade e a inteligência. Como eu não a conhecia, mesmo a vendo todo dia por nove anos, eu não sabia quais os níveis dela e tinha que contar com a sorte,mas quem disse que seria fácil?
- Fada,Bruxa ou Anjo? Era a primeira pergunta, sendo a segunda: Você lembra de alguma coisa no dia ¨¨¨de 2001?
Nada além disso poderia ser falado no perímetro de alcance da magia que descobri ser além do que eu imaginava,se estendendo até a AV.¨¨¨¨, pois um dia ao sair, ví Valeren como acontecia de vez em quando e resolvi segui-la por um tempo e ao desviar a atenção por um milésimo por causa de um carro que quase me atropela, não a vi mais mesmo procurando em várias direções.
Na Segunda fase eu teria a incrível oportunidade de despertar em Valeren as emoções prescritas pois tinha a prerrogativa de falar com ela sobre tudo e responder qualquer pergunta feita por ela, desde que obedecendo três condições, o que parecia tornar tudo muito fácil se não fossem os três protocolos:
O encontro não poderia ser combinado ou forçado e sim ao acaso.
Teria de ser fora do perímetro de encantamento.
Teria que acontecer entre a segunda semana de Agosto até a primeira de setembro.
A combinação de emoções que alteraria as estruturas moleculares de Valeren fariam com que a semente mental implantada como um vírus a abandonasse tornando-a livre para que que eu finalmente pudesse tentar o céu ou o inferno, mas qualquer coisa depois disso eu tinha certeza que seria o meu descanso.
Eu teria que usar toda as minhas habilidades para dar a ela todas as informações necessárias e ela usar as suas para descobrir a maneira para entrar na terceira fase, antes do dia 5 de agosto, o que tornava a coisa quase impossivel, jogando tudo para mais um ano nas mãos das bruxas más.
Mas desde que comecei a tentar a estratégia do plano , há dois anos, sempre alguma coisa dava errada ainda na primeira fase. E eu já estava acomodado e conformado com a situação, o que parece não agradou muito a minha verdugo, pois meu castigo dobrou e neste ano algo diferente aconteceu.

FLORES DO MAL


Sempre preferi as composições de Frejat do que as de Cazuza, elas são inesperadas e falam de emoções que sentimos nada fabricadas nem eternamente descartáveis.
Hoje, esta música pode confortar como bálsamo a quem está por baixo. Sabe como é, acontece.
Só assim saem pérolas como a letra desta música.


FLORES DO MAL
Barão Vermelho
Composição: Frejat / Guto Goffi

Não me atire no mar de solidão.
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos ,
Não me retalhe em escândalos,
Nem tão pouco cobre o perdão,
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão.
Que acabou feito um sonho...
Foi o meu inferno, foi o meu descanso.
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva,
Faz do amor uma história triste.
O bem que você me fez nunca foi real,
Da semente mais rica, nasceram flores do mal.

Não me atire no mar de solidão,
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos,
Não me retalhe em escândalos,
Nem tão pouco cobre o perdão,
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão.
Não me esqueça por tão pouco.
Nem diga adeus por engano.
Mas é sempre assim ,
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva,
Faz do amor uma história triste.
O bem que você me fez nunca foi real,
Da semente mais rica, nasceram flores do mal.


sábado, 21 de agosto de 2010

A VELA E A ESCURIDÃO

CAPITULO 1

Concentrado em pensamentos atravessei a rua sem correr embora chovesse a granel,como dizia aquele personagem do desenho que o Matheus via todo dia na TV, o que me lembrava o fato de que o tal desenho falava de magia, o que já estava se tornando uma coisa comum na minha realidade.
Havia duas semanas eu tinha começado a pesquisar sobre as emoções que estão ainda num plano acima do entendimento humano e sua relação com os segredos dos quais poucos teem conhecimento,mas que são conhecidos há séculos como é fácil descobrir procurando nos livros que falam do passado de civilizações antigas, nos escritos sagrados, nas cerimonias e rituais das sociedades secretas, nas ruínas descobertas de Tebas.
Se existe um limbo fora do nosso entendimento e que não pode ser explicado cientificamente, então as respostas para o descontrole humano, estruturado pelas nossas emoções, talvez estejam num nível superior que poucos sabem o caminho, enquanto que para a maioria bastam as teorias religiosas e filosóficas.
Eu não tinha nenhum interesse neste mundo desconhecido e enigmático até conhecer Tessa e seus longos vestidos de bruxa, sendo que o termo nada tinha a ver com as bruxas discriminadas nos livros infantis, as bruxas comecei a descobrir, também eram lindas e bondosas como as fadas, mas tinham as suas diferenças.
Já sob o signo da ansiedade (emoção) e todo molhado cheguei em casa ainda meio desligado de tudo ao redor e ainda pensando sobre o assunto, agora sobre as emoções. Se fosse prestar atenção a cada segundo que elas acontecem, o cara ficaria louco em pouco tempo, por isso nem notamos quando elas surgem, ás vezes solitária, ou uma atrás da outra como os sons de uma orquestra sem regencia, ás vezes aos bandos como pássaros sagrados, num caos maravilhosamente ordenado por leis nem de longe percebidas no nosso nível de evolução.
Durante o Jantar, com aflição (outra emoção) por não conseguir comer, pensei rapidamente em voltar a fazer exercicios e tomar meu complemento vitaminico para tentar recuperar os quilos perdidos nas últimas quatro semanas.Era só colocar na minha agenda mental que eu tinha que recuperá-los e o cérebro fazia o resto, como acontece com todas as atividades do mundo físico, pois este mundo é explicado pela ciência e não tem mais segredos, ele é autossuficiente e podemos dormir tranquilos enquanto ele cuida do resto.
Na verdade os seres humanos parecem caminhar na terra comandados por seus cérebros, mas sem todas as informações necessárias para entenderem o que tem de ser feito, controlando apenas uma parte acessivel e carregando uma caixa preta sem saber a finalidade.
Ainda na tarde anterior eu tentava fazer com que johnny, meu colega no trabalho entendesse que as emoções não dependem da nossa vontade e ele jogava todas as suas convicções nas mãos de Deus.Se você se apaixona por alguem é porque Deus quer assim e fim de papo.
Outros amigos durante o almoço, mais fisicalistas, achavam um absurdo alguem divulgar uma noticia com detalhes sobre um astro descoberto a alguns milhares de anos-luz, se nós não sabemos nada com certeza de marte e ainda não sabemos quem somos nem de onde viemos.
Mas o meu prato principal para eles era fazer a seguinte conjectura, formulada pelos cientistas e neuro-cientistas que estudam a chamada alma humana:
Se o cérebro,com todas as suas funções surgiu junto com todo o resto dos nossos orgãos, logo segue as mesmas leis naturais que regem nosso mundo e todos os outros seres vivos.
Se minha vontade não tem interferência nenhuma nas leis que regem a natureza, e minha vontade é produto dela e obedece as mesmas leis, então minha vontade independe de mim. Fácil assim!
Mas se nem os mais renomados neuro-cientistas,os fisicalistas e filósofos modernos ainda conseguiram entender como e de onde surgem as emoções, controladas pela mais intrigante máquina conhecida pelo homem e da qual sou dono, na verdade talvez um inquilino, porque deveria estar tão ansioso (emoção) para descobrir suas origens?
Envolvido agora pela preguiça (emoção) e pelo sono (um estado) acho que dormi mesmo antes de chegar na cama.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ALEGRIA ALEGRIA













A coisa tá tão braba que alguem teve a ídeia de buscar reliquias esquecidas dos festivais de MPB que existiam nos anos 60/70 e transformar em filme, assim como aconteceu com Simonal. Se a noite memorável que reuniu alguns dos maiores ídolos da MPB em todos os tempos é relembrada com tanta saudade é porque o presente é negro também em matéria de música. Engraçado é ver a empáfia e a cara de enfado dos famosos concorrentes ao estrelato hoje, ao falar do filme, que nem de perto retrata a atmosfera da época, época de que todos hoje reclamam com os bolsos cheios de grana.
Engraçado reclamar da ditadura quando na terrivel época, a música Brasileira tinha música de qualidade feita inclusive pelos astros do filme, além do Tim, Raul e os Mutantes...
Eram tempos bons prá MPB, hoje quando os miseráveis confundem abandono com liberdade, e os novos talentos estão tocando nas garagens sem festivais para aparecerem e sem rádio e TV, todo mundo está calado. Perdão, exceto Zé Ramalho e os Engenheiros do HAWAI

OS SENTIMENTOS

CAPITULO 6
O ORGULHO é um sentimento que se confunde com a soberba e a dignidade e faz parte de uma lista incrivelmente extensa da categoria de emoções coordenadas pelo nosso cérebro, isso é fácil de descobrir no google.Segundo a maioria dos grandes estudiosos é um sentimento positivo,o problema é não saber como bloquea-lo.
Sem saber que o orgulho estava me possuindo, discutia com meu amigo Joanny sobre as emoções e tentava lhe explicar a minha teoria sobre o assunto, dando como certa a ideia de que todos as funções do cérebro surgiram junto com todo o resto dos nossos orgaõs,por isso seguiria as mesmas leis naturais dos outros seres vivos mas o produto destas funções, as emoções são outra história.
Entrando em labirintos sem saida por pura diversão acabamos desdizendo todas as filosofias chegando a conclusão bêbados e certos de que não se precisa fazer mais nada na vida já que nossa vontade não depende de nós mesmos, mas dos seres superiores.
Cientificamente comprovado, o cérebro controla além de todas as funções do nosso corpo, todas as nossas emoções, entre elas:
A afetividade, A aflição, A alegria, A amizade, A angústia, A ansiedade, A apatia, A antipatia, O arrependimento, O Carinho, O Ciúme, A compaixão, A Coragem, A pena (Dó), O Egoísmo, A Empatia, O entusiasmo, A esperança, O fanatismo, A felicidade,A frieza, A gratidão, A histería,A hostilidade,O humor, A impulsividade, A indecisão, A inveja, A Ira, A mágoa, O mêdo O nojo, A nostalgia, O ódio, O orgulho, A paixão, O pânico, A paz interior, O prazer, A preguiça, A preocupação, A raiva, O remorso, A resignação, A saudade, A Simpatia, O sofrimento, A solidão, A surpresa, A vergonha, A vaidade, A vingança...
Quando nos apaixonamos por alguem não escolhemos este alguem, então quem aperta a tecla se nossa vontade não depende de nós?
Foi a antipatia que me fez riscar Valeren da minha lista de prováveis amizades logo no primeiro dia em que nos encontramos no ¨¨¨¨mas eu não sei quem apertou a tecla.Por muito tempo pensei ser ela mesma mas depois mudei de ídeia e fiquei mudando através dos anos sem perceber que também tinha sido apertadas a do orgulho e mais tarde a da resignação.
Quem decide o que temos de sentir? Foi procurando esta pergunta um tanto imbecil que comecei a entrar no mundo dos senhores das sombras sem perceber,devagarinho, guiado pelo coração que nada sabe de encantamento, apenas sofre os efeitos da nossa celebração do Ego, da tristeza e da vaidade.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

MADNESS

Procurando uma trilha sonora para fazer um video da GIgI, não poderia ser outra a mais indicada do que esta do MADNESS, agitada como ela. My Girl mad at me...I didn't wanna go see the film tonight...
A maluca banda inglesa Madness se formou em 1976 mas nos anos 80 é que se tornaram cult para os adoradores do Ska/Pop. Um novo som mesclando ska com ritmos variados dos anos 60. quase desconhecida no Brasil a não ser em algumas festinhas de iniciados, principalmente a música OUR HOUSE, a música que tem a melhor introdução do mundo pop, meio sampleado e antes da coisa chamada sampler ou remix ou sei lá...
Ouvindo MY GIRL lembro da turma do balcão, que tinham de aguentar as minhas fitas cassete. Beijos para Socorro, Bezerra,Wanderlea, Adriana,Fábio, Ana Paula, Clovis, Benigno (onde estiver) e tia Jú.

MÚSICA OU INFERNO?

CAPITULO 5
Music is my life. Este é o título de uma música do Bachman-Turner-Overdrive mas também pode ser a definição da minha existencia. Não consigo entender nada sem música. Todas as pessoas de quem gosto tem uma música especial na minha cabeça, mas tem algumas que ficam no coração, e ás vezes a música pode rasgar você por dentro como uma faca.
Quando você está caido por alguem a música pode ser um bálsamo ou um veneno.Um dia revirando meu baú de coisas perdidas, comecei a reler as letras de músicas que eu fazia aos dezessete anos e descobri (maravilhado) que eu era mais sábio que agora, e
que a vida vai tirando todas as suas crenças, até a crença em Deus, pelo menos para quem acha uma tremenda idiotice discutir sobre algo que todos sabem, é inenarrável.Para mim Deus tem a forma de música e me basta.
Achei engraçadas as letras escritas há tanto tempo e em outro tempo e o modo como as mulheres eram descritas nas frases de algumas delas,geralmente eram Deusas ou seres superiores,como em TIARA em dois versos:

"vem buscar-me em sonho em transe,
em seus cabelos de alfazema,
dá-me o sorriso com senha.
Vem sentir-me, eu sou aroma.
Sensual deserto em tochas,
Com teus pós mágicos me unge,
e que minha caravana vá longe,
e seu sabre à luz tênue me mate."

Os seres primitivos da terra,os homens, não percebem, passageiros descuidados que são,que tudo que fazem e é feito, o fazem para conquistar as mulheres.Até os que tentar alcançar o poder, e usam o poder para dominar outros homens.Tornando todos mais fracos a cada dia.
Depois disso eu não poderia mais ter dúvida de que as mulheres eram realmente as donas do mundo,agora e sempre, mesmo depois que os movimentos anglo-saxões na idade média instalaram o novo pensamento que dura até hoje,queimando as mais sábias mulheres nas fogueiras da Inquisição. Não pude deixar de pensar que as mulheres se vingaram, começando a jogar (parir)
no mundo um número cada vez maior de idiotas,que hoje é legião, até que uma nova ordem seja instaurada.Enquanto isso,como dizia Raul,os discos voadores nunca poderão pousar

domingo, 8 de agosto de 2010

HÁ MUITO TEMPO PENSO EM VOCÊ





















Eu até que parei de revirar os anos 60 e 70 procurando músicas que me agradem,mas não adianta. Ao ligar o rádio numa noite antes de dormir, coisa que raramente faço, ouvir rádio quero dizer...meus ouvidos foram invadidos pelo som suave por fora mas avassalador por dentro da banda The baby's. Formada em 1973 com um ou dois sucessos na carreira, mas 'Everytime I think of you ' é para deixar os amantes da musica dos 70's acordados, pelo menos por um bom tempo. Principalmente por causa da voz da deusa no back vocal Annie Bertucci. Mas é preciso dormir. É preciso uma máquina do tempo.