Translate

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

FISTFULL OF LOVE

Descobri esta música num blog e descobri que tem muita gente com o coração na mão escondida nos blogs. É uma música dificil que entra aos poucos  (sem maldade), mas bem construida para os padrões  atuais. Com você, Antony and Johnson, muito prazer também, e que começa assim...
Eu estava deitado na minha cama na noite passada
Olhando para um teto cheio de estrelas 
Quando isso de repente me ocorreu: 
Eu só tenho que deixar você saber como eu me sinto (é ruim,hem!)

video
                                             

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

TEORIAS CONSPIRATÓRIAS E SEGREDOS



O Pêndulo de Foucault, originalmente Il pendolo di Foucault, é um romance do filósofo e novelista italiano Umberto Eco, publicado em 1988.
Dividido em dez segmentos representados pelos dez Sefiroth, é cheio de referências esotéricas à Kabbalah, à alquimia e a teorias conspiratórias. O título do livro refere-se ao pêndulo projetado pelo físico francês Léon Foucault para demonstrar a rotação da terra.
Na trama, sociedades secretas estão envolvidas em um suposto plano que governaria a humanidade. O texto é rico em informações e idéias, além de conter trechos de livros antigos e raros.(Wikipédia)
Gosto de ler de vez em quando partes do livro para tentar entender porquê o desconhecido, embora nos encha de medo, nos atrai. Eu não gosto do termo "teorias conspiratórias", porquê ele acaba com o mistério e desvia o caminho dos segredos. O livro em várias passagens deixa subentendido,que às vezes é preciso se mostrar para continuar invisivel. Talvez o tal termo tenha sido criado por alguem que , juntando todos os segredos no mesmo saco , queria se misturar na multidão e passar despercebido.
Uma das partes mais deliciosas do Pêndulo de Foulcat, é quando um personagem narra as qualidades de um adepto da Rosa-Cruz, para iniciar-se em ciências ocultas. Além do básico In imagian, necromantiam, astrologiam, seu conhecimento deve abarcar outros campos como a fisiognosia, que diz respeito à física oculta estática,dinâmica e cinemática,astrologia esotérica e biológica.
A Cosmognosia, a antropognosia,que estuda a anatomia homológica. As ciências divinatórias, a fisiologia fluídica, a psicurgia. Depois vem as matemáticas qualitativas, a aritmologia , os conhecimentos preliminares
da cosmografia do invisivel,o magnetismo, as auras,os sons,os fluidos,psicometria e clarividência, leitura do pensamento, artes divinatórias como interpretação dos sonhos, até graus superiores como a profecia e o êxtase. É necessário que disponha de informação sobre alquimia, espagíria, telepatia, exorcismo, magia cerimonial e evocatória,teurgia de base...
A lista continua e é longa, eu me pergunto sempre, se os diabólicos (iniciados em ocultismo) tem todo este conhecimento, qual a origem, a finalidade e porquê o segredo?

domingo, 19 de setembro de 2010

LENDO BLOGS

Acho que o pessoal que ainda tem algum senso de critica no Brasil teem um blog prá desabafar.Com preguiça de escrever, fiquei lendo uns e achei vários textos interessantes,como esse, falando sobre a música feita atualmente,logo depois de ouvir uma overdose de Depeche mode. P´ra nos inspirar temos que recorrer à música de 20 anos atrás.Que saudade do Echo & Bunnymen...


ESTA MÚSICA É DE VERDADE?


Por Deiber Nunes Martins



Fazendo um vôo panorâmico por alguns sites na internet, percebemos com facilidade a chuva de críticas feitas ao Prêmio Multishow 2010, que premia os “melhores” da música no Brasil. E não se trata de criticar por criticar. O famigerado prêmio é um absurdo dantesco. Recheados por bandas e músicos fabricados pela mídia, o prêmio é uma iniciativa de levantar a bola dos novos heróis nacionais, totalmente artificiais e que não acrescentam nada.
Chega a ser engraçado ver o pessoal reclamando sobre a derrota do “?” NX Zero para uma pseudo-banda chamada Cine. Se juntar tudo em um balaio não sai uma nota musical que preste. Infelizmente, é o que querem nos fazer engolir, goela abaixo, ou melhor ouvido abaixo. Há muito tempo as rádios têm sido em sua grande maioria disseminadoras de porcaria. A começar lá atrás, nos anos 90 com os grupinhos de pagode de sorriso amarelo e nada na cabeça. Geralmente eram grupinhos de cinco carinhas, onde ninguém tocava nada nem um cavaquinho e apenas simulavam cantar e dançar músicas bem sofríveis. Junto com eles, apareceram duplas e mais duplas sertanejas que de sertanejo, não tinham nada. Naquele tempo também, começou a onda do “Axé Music”, que um dia uma rádio aqui de Belo Horizonte, tentou inserir em seu festival anual, voltado para rock, sob o rótulo “Pop Rock”. Foi de doer os ouvidos... Quem achava que “É o Tchan” e “Cia do Pagode” eram o fim do mundo, não tiveram paciência de esperar o que estava por vir...

Já faz algum tempo que procuro evitar contaminar meus ouvidos com a música brasileira atual. O som brasileiro mais atual que escuto é o CD Acústico do O Rappa e já faz algum tempinho que foi lançado. Coisa de anos. Bandas de verdade como Titãs, Skank, Paralamas, Jota Quest e Ira! parecem estar na entressafra e tentam competir no mercado nacional com porcarias contemporâneas como Fresno e Restart. E muitos não entendem o que estas bandas têm que as de verdade não têm. O que acontece é que o gênero “Porcaria Music” cresce no mercado nacional por conta dos modismos, das redes sociais, dos fãs-clubes (que em muitos casos se resumem a meras empresas de marketing, dispostas a difundir aquele lixo nos reality shows, rádios, TV’s e em Premiações anuais como o Prêmio Multishow.

Saudade do tempo do Rock dos anos 80, que representou o comportamento de uma juventude que mesmo massacrada pela censura, pensava. Assistir a esta lavagem cerebral cultural que fazem com os jovens de hoje, apenas nos faz lamentar que gosto não se discute e que o rock brasileiro, este comercial, que dá lucro, representa o politicamente correto, tudo aquilo que o gênero nunca foi.

Os poucos que ainda resistem ao sistema, se refugiam em bolhas onde podem compartilhar um pouco do gosto musical que possuem, armazenados em seus Mp3 e consoles. Estes guetos de gente dotada de bom gosto estão cada vez mais escassos... o que nos assusta, visto que o tempo da censura ficou lá atrás. E olha que naquele tempo, a juventude tinha cérebro, pensava e fazia a diferença...



Belo Horizonte, 31 de Agosto de 2010.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

A ARTE NA CAPA DE DISCOS

ART COVERS
AS MELHORES


Beatles


Sgt Pepper's Lonely
Hearts Club Band



Depois de SARGEANT PEPPER'S LONELY HEARTS
CLUB BAND,as capas de discos começaram a
mostrar mais do que fotografias com a cara dos
artistas. Beneficiado pelo tamanho dos LPs, a arte
se instalou de vez valorizando o trabalho musical e
as vezes se tornando mais famosa que a propria música.
Com infinitas possibilidades,a feitura das capas foi
evoluindo sem limites até onde alcança a imaginação,
sendo diminuida, literalmente,com o advento dos CDs.
Mas só no tamanho, porque a criatividade extrapolou.



BeatlesWITH THE BEATLES (1963)
Fotografia





CREEDENCE CLEWATER
REVIVAL

PENDULUM (1970)
Pose






QUEEN

QUEEN II (1974)
A postura mudou





Kiss


KISS (1974)


Começou a brincadeira.



AS FAMOSAS E POLÊMICAS


Pink Floyd
THE DARK SIDE OF THE MOON (1973)
O Prisma com a refração da luz que adorna
o DARK SIDE é em si uma imagem poderosa,
e se tornou um ícone musical e cultural.Ela está
sempre entre as dez mais de qualquer lista, de
qualquer gênero.




Beatles

WHITE ALBUM (1968)
Banal e original. Um contraste à capa
supercolorida de Sgt.Peppers. Como
diferença tem a numeração do disco na
parte inferior.Dizem que  Yoko Ono tem
o numero 1.




Beatles


ABBEY ROAD (1969)

Capa que causou várias controvérsias
e lendas. Além de ser bem original.



Pink Floyd

ANOTHER BRICK ON
THE WALL (1979)


?



King Crimson
IN THE COURT OF CRIMSON KING
(1969) O melhor exemplo do Expressionismo
feito em  um album, com resultado impressionante,
horrivel mas poderoso. Tornou a capa uma das
mais famosas na historia do Rock. É a única obra
do jovem artista Barry Godber, que morreu quatro
meses depois de criar a capa.

The Black Crowes

AMORICA (1994)
Parece uma capa da revista Hustler,de
qualquer forma, por causa da bandeira
americana retratada no bikini, foi banida
das lojas americanas.




The Rolling Stones

BEGGAR'S BANQUET (1969)
O disco atrasou quatro meses para ser
lançado porque a gravadora não gostou
da foto do banheiro, foi trocada pela capa
em forma de convite, mas relançada em
74.


The Rolling Stones


BEGGAR'S BANQUET


A Substituta





Jimmy Hendrix

ELECTRIC LADYLAND
(1968)
Uma porção de moças nuas sobre
um fundo preto deu o que falar.





Blind Faith
BLIND FAITH (1969)
A menina nua segurando
um avião de proporções
fálicas, despertou polêmicas
na Europa e América. Mas
a menina ( e os pais) ganhou
uma boa grana.




Tomzé

TODOS OS OLHOS (1974)
A censura passou batida por
não acreditar que alguem tivesse
tal ideia. A pergunta agora é: a
bolinha de gude está no cú de quem?



Scorpions

VIRGIN KILLER

Esta também foi queimada em
fogueiras, sob acusação de 
pedofilia. Teve de ser trocada.



Guns N' Roses
APPETITE FOR DESTRUC-
TION (1987)
Um robô estrupador ataca uma 
moça de forma violenta e os Guns
quase foram estrupados antes de
troca-la





David Bowie

DIAMONDS DOGS (1974)

A pintura mostra Bowie nú com
pés caprinos e duas prostitutas
rindo ao fundo, deu o maior bode.



sexta-feira, 3 de setembro de 2010

ARQUIVO DO ROCK
Ten Years After é uma banda britânica de blues-rock formada em 1967 por Leo Lyons, Ric Lee, Chick Churchill e Alvin Lee, um dos mais rápidos guitarristas da hístória.
O segundo álbum, Undead, apresentava o maior sucesso do grupo, "I'm Going Home", que foi seguido por Stonedhend e uma aparição explosiva no Festival de Woodstock.
Mais um sucesso, "I'd love change the world" e a banda começou a perder força no meio dos anos 70. Acabando em 1974,
De qualquer forma é um grupo importante e vale a pena ouvir algumas músicas, como I'd Love change the world , que eu coloquei no filme Life of Brian, só para animar aquela introdução à Inglesa e sem graça.

QUE É QUE EU FUI FAZER EM GRAGOATÁ?

Levado com certeza por anjos caídos do céu através de uns malucos terrestres,fui parar um dia desses em Gragoatá, um lugarzinho aprazivel apesar do nome, em Niteroi. Eu que não bebo há uns dez anos,enchi a cara e entrei numa armadilha do acaso. Ao contrário dos meus amigos mais chegados ao esoterismo, acho que nossa vida é rigidamente controlada dentro do caos universal, pelo acaso. Tive mais certeza ainda depois que voltei de Gragoatá, ví com clareza que carregamos uma caixa preta dentro do cérebro que nos comanda, e é quem manda enquanto pensamos que tudo está sob nosso controle. Sónos resta fingir que estamos entendendo tudo.
entenderam? Nem eu.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

AS PRAGAS SEGUNDO MILLÔR

Millor , grande cartunista e trocadilhista, fez uma relação de “pragas”
que nos deixam pessimistas quanto ao futuro do Mundo. A lista é longa, por isso transcreverei somente as que nos interessam, isto é,as brasileiras, com algumas (duas) humildes contribuições.

********************************************
Temos que evitar apenas os politicos corruptos, o horário eleitoral, a violência recrusdecente,
a emigração indesejável, os bumerangues a baixa altitude, raios manta,
raios panda, ateus, hereges, fisicalistas, a democracia bolivariana,as minas de cobre kilométricas,
os pintores primitivos, os pintores modernos; A Confederação Internacional do Homossexualismo Cristão, a Confederação nacional dos ratos de Sacristia; menores sedutoras,sedutores de menores; legalização das drogas, movimento estranho na vizinhança, adoradores de beterraba; orgias no andar de cima, bacanais no andar de baixo; mosquitos invisiveis, maníacos-depressivos e armados, baianos elétricos, gaúchos radiativos, Febre amarela agora com várias cores; voodoo, magia negra, macumba; hexacloreto de coentro, jornais sem revisão, semanários sem censura, programação sem vergonha; virgens profissionais;beijos na boca, boquetes; nuvens de baratas paraguaias, mulatos liberais, barbudos analfabetos, o bafáfá , o bbb; Os vôos sem itinerário; Os batedores de mulheres, a saudade dos batedores de carteira; velhinhos nazistas fugitivos; alcoólicos anônimos, alcoólotras famosos; granadas extraviadas, extra-viados; petroleiros com um milhão de toneladas,Conclave de estupradores de domésticas; antropólogos comendo indias, antropólogos sendo comido por índios; trocadilhistas infames, donas-de-casa analfabetas virando emancipadas, violação de e-mails, velhotas de topless, entrevistas com jogadores de futebol; terapia de grupo,sexo grupal.... Chega.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

ROGÉRIO SKYLAB PARA OS SÓBRIOS




Ele pode ser chamado de Underground ou outsider ou simplesmente maluco, alguns o odeiam ou apenas o entendem, amar jamais. As letras do Rogério Skylab não
são digeriveis para a maioria hipócrita, que prefere esconder no subsconciente temas como
psicopatia,estupro, alienação. O maluco critica sem dó todos os ícones da nossa sociedade acomodada, do PT à Fátima bernardes, e o que é melhor, o som é bem elaborado. Com uma banda afinada que toca bem mais que noventa por cento dos grupinhos que aparecem por aí, Skylab continua nas sombras, só para iniciados, como Tom Waits, como Ceridwen.
E quando você mija,você lava as mãos, antes ou depois?